banner header Sem categoria

Descobri que tenho perda auditiva! E agora?

No Brasil, mais de 10 milhões de pessoas têm deficiência auditiva, de acordo com estudo feito em conjunto pelo Instituto Locomotiva e a Semana da Acessibilidade Surda. Isso representa mais de 5% da população brasileira.
Se você descobriu recentemente que está em um processo de perda auditiva ou já perdeu a sua audição, saiba que cada vez mais existem alternativas para driblar a perda auditiva e aumentar a sua qualidade de vida.

Qual o perfil das pessoas com perda de audição no Brasil?

  • 15% de quem têm deficiência auditiva severa já nasceram surdos.
  • De 10,7 milhões de pessoas com deficiência auditiva, 2,3 milhões têm deficiência severa.
  • A surdez atinge 54% de homens e 46% de mulheres.
  • A maioria (57%) é na faixa de 60 anos de idade ou mais.
  • Cerca de 1 milhão das pessoas com perda auditiva são crianças e jovens até 19 anos.
  • 9% das pessoas com deficiência auditiva nasceram com a condição.
  • 91% adquiriram a perda auditiva ao longo da vida.
  • Dos que adquiriram a perda auditiva ao longo da vida, metade adquiriu antes dos 50 anos de idade.
  • A maioria das pessoas com deficiência auditiva está na Região Sudeste (42%), seguida pelo Nordeste (26%) e Sul (19%). O Centro-Oeste e Norte têm os menores percentuais de surdos (6% e 7%, respectivamente).

Quais as principais causas da perda auditiva?

A perda auditiva completa ou parcial pode ter diversas causas: exposição a sons muito altos, infecções auriculares, do envelhecimento e até mesmo fatores que não envolvem necessariamente as orelhas. Aqui vamos falar sobre algumas das possíveis causas.

Exposição excessiva a ruídos

De acordo com a OMS, cerca de 10% da população mundial tem alguma perda auditiva e boa parte dessas pessoas teve a audição danificada por exposição excessiva a sons.
Hoje em dia é muito difícil se manter longe de ruídos constantes, eles estão nas ruas, nos bares e casas noturnas, em concertos e apresentações, no trabalho, no transporte coletivo, nos motores de carros e até mesmo dentro de casa, afinal muitas pessoas moram em regiões extremamente ruidosas.

Uso frequente de fones de ouvido e dispositivos de áudio

Recentemente, a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a União Internacional de Telecomunicações (UIT) publicaram um novo padrão internacional para a fabricação e o uso de fones de ouvido e outros dispositivos de áudio, afim de reduzir as chances de perda auditiva por parte dos usuários desses dispositivos. Cerca de 50% das pessoas entre 12 e 35 anos têm riscos de sofrer perda auditiva por exposição prolongada e excessiva a sons altos, inclusive através de fones de ouvido. Atualmente, os jovens ouvem música alta com muita frequência e isso está aumentando muito os casos precoces de PAIR (perda auditiva induzida por ruído), por esse motivo, é importante sempre verificar se os dispositivos de áudio estão dentro das recomendações de segurança e, se puder, não abuse dos fones de ouvido, utilizando-os moderadamente.

Exposição excessiva à ruídos no trabalho

Para quem trabalha em ambientes com ruídos frequentes, o problema é ainda maior e precisa de muito mais cuidado. Quando um trabalhador fica exposto a ruídos intensos durante horas, é necessário que faça uso de EPI (Equipamentos de Proteção Individual), e seu uso é obrigatório em ambientes de trabalho onde os sons extrapolam o nível saudável para a saúde auditiva. Também é importante que o trabalhador faça o uso correto dos EPIs, assim como a higienização correta para prevenir infecções.
Hoje, o uso de EPI é obrigatório em diversos setores, o modelo concha, é o mais utilizado.
Também têm as pessoas que trabalham com música e áudio, como produtores musicais, roadies e técnicos de som, que fazem uso constante de fones de ouvido e outros dispositivos de áudio, além de ficarem expostos a níveis intensos de barulho externo. Para esses profissionais, recomenda-se o máximo de descanso e silêncio após o turno de trabalho, e sempre que possível, fazer o uso de protetores auriculares como plugs de silicone, que reduzem os danos causados por barulhos externos.

Doenças e infecções

Diversos tipos de enfermidades podem ocasionar a perda auditiva parcial ou completa.
As infecções também são responsáveis por grande parte da perda de audição. Essas infecções, como a otite, podem ser causadas por bactérias ou vírus que se alojam no canal auditivo.

Condições genéticas

Como já mencionado, 15% de quem têm deficiência auditiva severa já nasceram com essa condição. Isso ocorre a diversos fatores genéticos que devem ser analisados individualmente.

Facilidades que ajudam quem tem perda auditiva

As políticas de inclusão e a tecnologia ajudam a pessoa com perda auditiva a ter uma vida com muito mais qualidade e facilidades no dia a dia.

Libras e acessibilidade

A Lei de Libras institui como disciplina curricular, a Língua Brasileira de Sinais na rede pública e privada de Educação Infantil e Ensino Fundamental para pessoas surdas e ouvintes. A lei garante ainda o acesso dos pais de estudantes surdos às instituições de ensino. A Lei de Libras contribuiu muito para comunidade surda de modo geral na empregabilidade e nos serviços públicos. Em 2005, o decreto nº 5.626, tornou obrigatória a disciplina de libras nos cursos de formação de professores de nível médio e superior.
Hoje em dia, também encontramos com muito mais facilidade cursos de Libras, tradutores e intérpretes, assim como mídias que adotam cada vez mais o uso dessa linguagem.
Também aumenta o número de universidades que oferecem vagas para pessoas com perda auditiva, assim como a quantidade de pessoas com perda auditiva cursando mestrado e doutorado.
Uma conquista que tivemos recentemente, foi a prova do Enem traduzida para a linguagem de sinais, gerando muito mais tranquilidade e acolhimento para pessoas com perda auditiva.

A tecnologia como aliada

Hoje é possível encontrar dispositivos que fazem a tradução da língua portuguesa para Libras simultaneamente.

Além disso, hoje no mercado existem aparelhos auditivos de alta tecnologia, que permitem uma vida muito mais tranquila e produtiva para a pessoa com perda auditiva. Muitos acessórios de conectividade e aparelhos auditivos como os da Phonak, permitem que o usuário tenha uma clareza de comunicação muito maior, seja no dia a dia, na sala de aula, no trabalho e até mesmo em vídeo-chamadas.
No Centro Auditivo Viver, você encontra diversos profissionais qualificados prontos para analisar e orientar sobre qual o seu caso e qual tipo de dispositivo ou acessório é mais recomendado para você. Você também encontra aparelhos auditivos, protetores auriculares e acessórios de conectividade das melhores marcas do mercado, para garantir a total durabilidade e confiança do dispositivo que você vai adquirir.
Ter qualidade de vida com perda auditiva, é totalmente possível.

Para se manter bem informado sobre tudo o que está relacionado a sua saúde auditiva, não deixe de acompanhar o Centro Auditivo Viver pelas redes sociais:
Instagram | YouTube | Facebook

Para se manter bem informado sobre tudo o que está relacionado a sua saúde auditiva, não deixe de acompanhar o Centro Auditivo Viver pelas redes sociais:

Instagram | YouTube | Facebook

Teste grátis por 7 dias

Cadastre-se e teste nossos aparelhos auditivos gratuitamente.

ao se cadastrar, você concorda receber
ligações e e-mails do centro auditivo viver.

banner form

Posts relacionados

Faça um teste grátis

Cadastre-se e agende o seu teste hoje mesmo.