banner header Blog

Mau cheiro no ouvido é sinal de que algo não vai bem com sua audição

Muito se fala sobre cheiro ruim no ouvido, o que as pessoas não imaginam é que esse problema pode ser fruto de diversas fontes diferentes. Os médicos ressaltam que o mau cheiro, sem dor ou mesmo febre, não é comum. De qualquer modo fica evidente o fato de que é necessária uma investigação para descobrir as causas.

Assim, diante desse sintoma, você não deve manipular o ouvido, introduzir qualquer instrumento ou mesmo pingar qualquer medicamento sem consultar um otorrinolaringologista, que deve fazer uma avaliação minuciosa para identificar a causa real.

De um modo geral, os especialistas dizem que esse problema não costuma ser grave, mas, se não tratado de forma correta pode levar à surdez. Desse modo, a fetidez, esse é o nome correto, pode ter muitas causas e vamos ver agora quais seriam.   

Secreção

Normalmente a secreção no ouvido tem como causa principal alguma infecção que pode se alojar no ouvido interno ou externo. E, invariavelmente, a infecção é causada por bactérias ou vírus que provoca dor, febre e vermelhidão.

A secreção ainda pode ter como causa lesões na cabeça ou no tímpano e o aspecto normalmente tem coloração transparente, amarela, vermelha ou branca que tem como característica o mau cheiro.

Desse modo é imprescindível que você fique atento se isso acontecer com você, a algum parente ou amigo. Em caso de secreção é preciso observar se existe sangue, pus, se é aquosa, se causa coceira, dor um zumbido.

Otite média

Provocada por vírus, bactérias, fungos, traumatismos ou alergias, a otite média é caracterizada por uma inflamação que provoca dor de ouvido, costuma liberar uma secreção amarelada ou esbranquiçada com mau cheiro, perda de audição e febre.

Esse é um problema que em geral, acomete bebês e crianças. Por isso os pais devem ficar atentos, porque, principalmente os bebês, não conseguem dizer o que estão sentindo. Assim, se apresentarem febre, se sentirem irritados e colocarem constantemente a mão na orelha pode ser que estejam com otite.

A otite é mais comum em bebês e crianças, podendo nestes casos, ser mais difícil de identificar os sintomas. Assim, se o bebê tiver febre, se mostrar irritado, ou se levar a mão à orelha com frequência, pode ser sinal de otite, e procurar um pediatra é fundamental.

Otite externa

A otite externa costuma provocar dor, febre, coceira, além de liberar secreção esbranquiçada ou amarelada e se caracteriza por ser uma infecção que ataca a parte de fora do ouvido e o tímpano.

Normalmente, esse mal tem como causa a exposição ao calor ou mesmo a umidade. Tem também o uso de hastes flexíveis que facilitam a proliferação de bactérias no ouvido.

Para resolver esse problema, os pacientes devem promover a limpeza do canal auditivo com soro fisiológico ou ainda, soluções alcoólicas e medicação indicada pelo seu médico.

form_cadastro

Corpos estranhos

Não se engane, corpos estranhos dentro do ouvido podem ser mais comuns do que se imagina. No caso das crianças a introdução de corpos estranhos pode ser acidental e dependendo do tamanho da criança ela não consegue expressar o que aconteceu.

Normalmente esses objetos estranhos podem ser objetos ou insetos e dependendo do tempo que fica no ouvido pode causar dor, coceira e liberação de secreção.

Mastoidite

O mastóide é um osso localizado atrás da orelha e a sua inflamação, chamada de mastoidite, vem de uma otite mal curada. Isso provoca que bactérias se espalhem do ouvido para o osso.

De um modo geral esse problema provoca vermelhidão na região, inchaço e dor ao redor do ouvido, o que provoca febre e secreção amarelada.

Perfuração do tímpano

A perfuração do tímpano costuma provocar dor e coceira no ouvido, diminuição da audição, ou mesmo sangramento e liberação de outras secreções pelo canal auditivo.

Todo o cuidado é pouco, já que o tímpano é uma membrana fina e a perfuração costuma provocar dor de ouvido intensa, zumbido e liberação de secreção amarelada, podendo também ocorrer tontura e vertigem.

Micose

A micose tem como característica básica o fato de ser uma infecção na pele que causa fungo e provoca coceira, manchas brancas e rachaduras. Esse problema não curado como deve ser, pode causar o mal cheiro.

Além disso, a micose pode ser classificada em superficiais ou profundas. As superficiais acontecem quando provocadas por calor, umidade ou pouca luz favorecem o crescimento dos micro-organismos.

Já as profundas são vistas em pessoas que apresentam deficiência imunológica, como pacientes com Aids ou que estejam em tratamento contra o câncer. Importante ressaltar que a micose é contagiosa e é causada por fungo que pode ser encontrado no chão, na água ou em objetos dos mais diversos. E, além disso, quanto maior o calor ou a umidade, maior é o risco de proliferação e contágio.

Importante ressaltar que a micose pode não ser percebida em princípio por isso examinar o corpo constantemente é recomendável porque manchas e coceiras podem ser confundidas com alergias.

Dermatite

No caso específico da Dermatite existem dois tipos do canal auricular. A Dermatite de contato e a Dermatite eczematoide auricular. O primeiro caso trata-se de uma reação alérgica que tem como agente brincos que contenham níquel e produtos de beleza incluindo as tinturas de cabelo.

Já a Dermatite eczematoide auricular são mais comuns em pessoas que tenham desencadeado problemas como Dermatite seborreica e Psoríase. Independente do tipo é característica desse problema coceira, vermelhidão, secreção ou umidade límpida e descamação, escurecimento e rachaduras dolorosas da pele que podem levar ao desenvolvimento de uma infecção bacteriana conhecida como Otite externa.

Cerume impactado

Esse é o nome dado ao excesso de cera que se acumula no canal auditivo e acaba atingindo a membrana do tímpano. Se o corpo, de maneira natural, não consegue expelir essa cera, fica difícil escutar os sons. A consequência é o surgimento de zumbidos, tontura, dor e infecções.

A boa notícia é que o diagnóstico e tratamento do cerume impactado é simples já que o principal sintoma é a dificuldade para ouvir. E, o tratamento é de igual valor. Entre eles estão:

  • A prescrição de remédio pelo médico;
  • Uso de objetos específicos para retirar ou sugar a cera;
  • Aplicação de água morna ou soro fisiológico.

Colesteatoma

Um dos problemas que podem causar o mau cheiro é a Colesteatoma que é reflexo de infecções no ouvido repetidas. De modo prático, é uma pele que cresce no ouvido médio, bem atrás do tímpano.

Nesse caso, a fetidez é um dos menores problemas. Caso não seja tratado devidamente e se continuar a crescer é possível que o paciente comece a sentir pressão no ouvido o que gera desconforto. E, o que é pior pode levar à destruição dos ossos do ouvido médio.

Se isso acontecer saiba que é possível ter a audição afetada, causando ainda problemas de equilíbrio e funcionamento dos músculos faciais.

A grande questão em relação o Colesteatoma é que a única forma de acabar com ela é por cirurgia, porque assim é possível evitar complicações mais graves e claro, não se esquecer da necessidade de manter a avaliação médica em dia, porque o Colesteatoma pode voltar.

Lesão na cabeça

Você que está lendo esse artigo deve estar se perguntando: de que modo uma lesão na cabeça pode causar o mau cheiro no ouvido? Pois saiba que isso é menos raro do que se imagina.

Lesões graves na região da cabeça, como uma fratura, por exemplo, pode provocar secreções no ouvido, normalmente acompanhado de sangramento.

Como evitar infecções nos ouvidos

Independente do nome que receba a doença, elas acabam levando a infecção do ouvido que afetam o canal auditivo em razão de bactérias e fungos. De um modo geral afetam toda a região.

Os principais sintomas que afetam as pessoas acometidas de infecções são dor que podem ser de leve a fortes, febre e secreção local. Por outro lado, o canal auditivo pode também inchar e se fechar. Dessa forma, a audição fica prejudicada.

Assim, para evitar infecções é recomendável:

  • Manter a orelha sempre seca;
  • Evitar automedicação;
  • Não siga orientação de conhecidos;
  • Quando for nadar, proteja o ouvido para evitar a entrada de água (tampão de silicone é uma boa opção);
  • Limpe, com frequência, as secreções nasais para evitar o catarro que pode se acumular no nariz e garganta no caso de gripes e resfriados;
  • Evite utilizar hastes flexíveis;
  • Procure um médico sempre que tiver qualquer tipo de dor no ouvido.

Cuidados básicos com os ouvidos

O ouvido humano é um complexo sistema com uma importante função a desempenhar desde o começo da vida até os finais dos dias do indivíduo. Com um conjunto de componentes sensíveis e diretamente ligado ao cérebro e ao sistema de nariz e boca, os ouvidos devem ser bem cuidados para que seu funcionamento ocorra normalmente.

Basicamente se trata de um complexo componente do corpo que desempenha muito mais que apenas o efeito de ouvir os sons. Ele é responsável pelo equilíbrio e orientação do corpo.

Por isso que ao girar o corpo, a tendência de tontura se dá pelo simples fato de que um líquido existente no ouvido também gira por causa da gravidade, causando a sensação de desconforto e perda de orientação.

Diariamente, as pessoas devem manter cuidados básicos para a plena funcionalidade do sistema auricular. São elas:

  • Limpar sem agredir o ouvido;
  • Evitar a entrada de água no canal;
  • Garantir um período de silêncio para lubrificação, descanso e recalibração;
  • Permitir ajustes orgânicos para uma boa saúde deste pequeno órgão e enorme pela importância para cada pessoa;
  • Manter a limpeza diária do ouvido;
  • Secar bem todo o entorno do canal auricular;
  • Não usar produtos químicos;
  • Não usar materiais pontiagudos para a remoção do excesso de cera;
  • Evitar o fumo;
  • Proteger os ouvidos contra qualquer componente que possa afetar seu funcionamento;
  • Utilizar protetor auricular em ambientes de som alto ou constante.

Evitar vídeos na internet

No mundo tecnológico de hoje, o que não falta é vídeo na Internet com soluções milagrosas para evitar o mau cheiro no ouvido. Não se iluda. Não se engane. Só um médico pode identificar quais são os motivos do ouvido ter mau cheiro e receitar qual medicamento ou tratamento é o mais adequado para a solução do problema.

Os médicos especialistas são enfáticos em dizer que esse conteúdo pode ser prejudicial e gera transtornos diversos às pessoas que preferem soluções caseiras a consultar um profissional.

Um dos exemplos mais comuns desses tipos de conteúdos falam do uso de velas e fogo para ajudar a limpeza do ouvido entupido. Tal prática é condenada por médicos, pois há inúmeros casos de queimaduras de várias graduações e até perdas permanentes da audição pela entrada de produtos em alta temperatura no ouvido, causando a destruição do sistema auditivo.

A conduta individual da pessoa deve ser simples: ao aparecer sinais estranhos em seu ouvido e se há a presença de mau cheiro na área, consultar um médico é essencial para saber como solucionar o problema e voltar a ouvir bem sem ter exposto o sistema auricular a riscos desnecessários.

Uma dica para agradar seus ouvidos: para se manter bem informado sobre tudo o que está relacionado a sua saúde auditiva, não deixe de acompanhar o Centro Auditivo Viver pelas redes sociais:

Instagram | YouTube | Facebook

Para se manter bem informado sobre tudo o que está relacionado a sua saúde auditiva, não deixe de acompanhar o Centro Auditivo Viver pelas redes sociais:

Instagram | YouTube | Facebook

Teste grátis por 7 dias

Cadastre-se e teste nossos aparelhos auditivos gratuitamente.

ao se cadastrar, você concorda receber
ligações e e-mails do centro auditivo viver.

banner form

Posts relacionados

Faça um teste grátis

Cadastre-se e agende o seu teste hoje mesmo.